A TEORIA FREUDIANA DO COMPLEXO DE ÉDIPO

(ref.: 9788571374157 (CO))

Autor: Ivan Ramos Estevão
Editora: Escuta
Coleção: Margens: Psicanálise, Cultura e Política (Coleção dirigida por Miriam Debieux Rosa)
Ano: 2017
Número de páginas: 280
Categoria Principal: 

  • Compartilhe:
R$ 61,00
Coloque o cep:
  • Sumário
  • Sinopse

Prefácio, Miriam Debieux - Rosa, 9

Apresentação, 15

Introdução, 17

 

O Complexo de Édipo clínico, 33

A questão da sexualidade, 33

O surgimento do Complexo de Édipo, 43

Os "Três ensaios", 48

Casos Clínicos: Hans, Dora e Schreber, 64

 

O Complexo de Édipo cultural, 77

Teoria do Eu, 77

A moral e "Totem e tabu", 105

A primeira teoria pulsional, 130

Introdução ao narcisismo, 146

 

O complexo de Édipo constitutivo, 159

A segunda teoria pulsional, 160

Psicologia das massas e a identificação, 171

"O Eu e o Isso" e o complexo de Édipo constitutivo, 191

Teorias sexuais infantis e as primeiras orgaanizações pré-genitais, 206

O Complexo de Castração e a fase fálica, 231

A dissolução do Complexo de Édipo e o Complexo de Édipo feminino, 252

O Complexo de Édipo na cultura, 265

 

Considerações finais, 271

Referências, 277

 

O que Freud faz é a articulação entre os três componentes de produção de conhecimento da psicanálise: a clínica, a metapsicologia e a teoria da cultura. Todos eles têm como centro o complexo de Édipo. No cerne da elaboração freudiana, fica inviável pensar a clínica, harmonizar a metapsicologia e postular a teoria da cultura sem recorrer a ele. Dessa forma, não há clínica, metapsicologia ou teoria da cultura para a psicanálise freudiana se não levar em conta o complexo de Édipo. Sabemos que não há como sustentar a ideia de complexo de Édipo que não seja articulado ao todo do edifício teórico da psicanálise. Mas, ao fim e ao cabo, ele parece ser mais central para se pensar a condição humana do que qualquer outro conceito do corpus teórico da psicanálise.

    FORMAS DE PAGAMENTO

    REDES SOCIAIS