MASOQUISMO MORTÍFERO E MASOQUISMO GUARDIÃO DA VIDA

(ref.: 9788571372153 (CO.))

Autor: BENNO ROSENBERG
Tradução: Célia Gambini
Prefácio: Claude Le Guen
Editora: Escuta
Coleção: Biblioteca de Psicopatologia Fundamental
Ano: 2003
Número de páginas: 208
Categoria principal: Teoria Psicanalítica

  • Compartilhe:
R$ 70,00
Coloque o cep:
  • Sumário
  • Sinopse

Prefácio, Claude Le Guen 11

Introdução 19


CAPÍTULO I - CULPA E MASOQUISMO MORAL OU CULPA COMO NEGATIVO DO MASOQUISMO 39

I. Descrição do masoquismo moral: distinção (oposição) entre culpa e masoquismo moral, masoquismo e neuroses 41

A - A culpa e o masoquismo moral são idênticos? 41

B - Distinção (oposição) entre culpa e masoquismo moral 43

C - O fingimento do masoquismo moral: masoquismo moral e neurose 49

II. Auto-sadismo e culpa ou masoquismo e gênese da culpa 56

A - O auto-sadismo ou o papel da culpa na transformação do sadismo em masoquismo 56

B - O auto-sadismo ou o papel do masoquismo na gênese da culpa 60

1. Algumas considerações sobre a perversão infantil 61

2. Auto-sadismo e origem da culpa 63

3. Aspecto tópico-formal e aspecto de conteúdo da culpa 66

4. Masoquismo e gênese da culpa 67


CAPÍTULO II - MASOQUISMO MORTÍFERO E MASOQUISMO GUARDIÃO DA VIDA 71

I. Masoquismo (erógeno) e princípio de prazer 72

A - Modificação do princípio de prazer em função do masoquismo 72

1. O problema 72

2. Modificação teórica do princípio de prazer: reabilitação da excitação 74

3. Modificação teórica do princípio de prazer: sua origem pulsional 78

B - Masoquismo, princípio de prazer e continuidade-temporalidade

interna 82

II. O masoquismo erógeno primário: masoquismo e projeção 87

A - A problemática do masoquismo erógeno primário 88

1. Masoquismo e co-excitação 88

2. Masoquismo e satisfação pulsional 90

3. Masoquismo e sujeito 94

4. Masoquismo e objeto 103

B - Masoquismo mortífero e masoquismo guardião da vida 108


CAPÍTULO III - O TRABALHO DA MELANCOLIA OU A FUNÇÃO ELABORATIVA DA IDENTIFICAÇÃO OU O PAPEL DO MASOQUISMO NA
RESOLUÇÃO DO ACESSO MELANCÓLICO 119

I. Introdução 121

A - Razões que levam a supor a necessidade de um trabalho de melancolia 121

B - O trabalho de melancolia em Luto e melancolia 123

II. O trabalho de melancolia: hipótese geral sobre o trabalho de melancolia e a solução freudiana sobre a problemática e a compreensão do trabalho de melancolia 127

A - A problemática e o objetivo do trabalho de melancolia 127

1. Desapego (do objeto) e destacabilidade 127

2. O investimento narcisista de objeto como causa da não-destacabilidade 128

B - A solução freudiana ou o modo como Freud descreveu o trabalho de melancolia 133

1. O modo como Freud descreveu o trabalho de melancolia 133

2. A paradoxabilidade do trabalho psíquico 136

3. A solução freudiana: a descrição freudiana da liquidação pelo

trabalho de melancolia do investimento narcísico de objeto

III. Trabalho de melancolia e sadismo-masoquismo ou trabalho de

melancolia e o reencontro com o (novo) objeto 144

A - Trabalho de melancolia e masoquismo 144

B - Masoquismo e economia do trabalho de melancolia 149

C - Conclusão 153

1. Melancolia (depressão) e masoquismo 153

2. Os dois níveis do trabalho psíquico 155


CAPÍTULO IV - PULSÃO DE MORTE E INTRINCAÇÃO PULSIONAL OU A PULSÃO DE MORTE NA CONSTRUÇÃO DO OBJETO E O APARELHO PSÍQUICO OU A PULSÃO DE MORTE E A DIMENSÃO MASOQUISTA DA EXISTÊNCIA 157

I. Intrincação e desintrincação pulsional: as conseqüências metapsicológicas e clínicas 159

A - A problemática da intrincação pulsional: a pulsão de morte e a estruturação interna do objeto 159

B - Desintrincações. O papel da pulsão de morte na construção

(desconstrução) do aparelho psíquico, do objeto e da oposição

dentro-fora 164

1. Pulsão de morte e psiquismo 164

2. As clivagens relativas: a separação entre eu e supereu 167

3. As clivagens relativas: a pulsão de morte, o objeto e a distinção

dentro-fora 173

II. O masoquismo, sua relação com a intrincação pulsional e como

fundamento clínico da pulsão de morte 174

lII. A última teoria das pulsões. As organizações psíquicas estáveis

e sua historicidade 180

A - O valor historizante (exigência de historicidade) intrínseco

das pulsões 180

B - O sentido pulsional das organizações psíquicas dotadas de

estabilidade 185

C - Pós-nota 192

IV. Pulsão de morte, negação e trabalho psíquico ou a pulsão de

morte colocada a serviço da defesa contra a pulsão de morte 193

A - A negação no funcionamento neurótico 196

B - A recusa no funcionamento psíquico 196

C - A projeção delirogênica como negação elaborativa 197

D - A projeção primária como negação primária 198

O masoquismo é o que nos permite continuar a suportar os sofrimentos e as misérias da vida; digamos que o masoquismo nos faz viver. Nessas condições, parece legítimo falar da dimensão masoquista da existência humana, visto que essa apenas testemunha avatares da união pulsional e de sua necessidade, de sua qualidade vital. Disso resulta a constatação de que a vida psíquica é ao mesmo tempo conflituosa e animada por um movimento histórico.
quem comprou, também comprou
HIPOCONDRIA
Escuta
R$ 71,00
Escolha a quantidade
No momento a quantidade solicitada n?o esta dispon?vel em estoque
UM MOSAICO DA DEPRESSÃO - DOS SUJEITOS SINGULARES AOS TRANSTORNOS UNIVERSAIS
Escolha a quantidade
No momento a quantidade solicitada n?o esta dispon?vel em estoque
EROTOMANIA
Escuta
R$ 126,00
Escolha a quantidade
No momento a quantidade solicitada n?o esta dispon?vel em estoque

    FORMAS DE PAGAMENTO

    REDES SOCIAIS