PODER E POLÍTICA NA CLÍNICA PSICANALÍTICA

(ref.: 9788539106929)

Autor: Marcelo Checchia
Editora: Annablume
Ano: 2015
Número de páginas: 444
Categoria Principal: Lacan

  • Compartilhe:
R$ 99,12
Coloque o cep:
  • Descrição
  • Especificação
Sumário

PREFÁCIO 13

INTRODUÇÃO 19

1. Apresentação 19
2. Breve semântica da política 25
2.1. A teoria geral da política de Norberto Bobbio 30
2.2. A antropologia política de Pierre Clasrre 34
2.3. A filosofia do poder de Michel Foucault 39
3. A palavra política no campo psicanalítico 49
3.1. Na obra de Freud 52
3.2. Na obra de Lacan 56

PARTE I - POLÍTICA E TÉCNICA 61
1. Introduzindo a polêmica: técnica em psicanálise 63
2. A téchne 67
3. Inversões dialéticas das posições do poder na técnica freudiana: poder de cura, poder da palavra e poder da transferência 75
3.1. Primeiro desenvolvimento: o poder de cura via sugestão sob hipnose 77
3.2. Primeira inversão dialética: o poder da sugestão em questão 83
3.3. Segundo desenvolvimento: a experiência com Breuer e o método catártico 85
3.4. Segunda inversão dialética: abandono definitivo da sugestão e da hipnose e o surgimento da técnica psicanalítica 88
3.5. Um terceiro desenvolvimento: o poder na resistência, na transferência e na interpretação 92
3.6. Técnica pós segunda tópica: terceira inversão dialética? 103
4. Breve mapeamento das derivações técnico-políticas após Freud 109
4.1. Técnicas fundamentadas na teoria da relação de objeto 115
4.2. Técnicas fundamentadas na teoria do eu 117
5. A técnica e a política na direção da cura em Lacan 121
5.1. Contextos de A direção do tratamento 123
5.1.1. Lacan analisante de Loewenstein 123
5.1.2. Conflitos político-institucionais 129
5.1.3. Crise provocada pelas variações técnicas 132
5.2. Principais críticas de Lacan aos pós-freudianos 135
5.2.1. Sobre a transferência 138
5.2.2. Sobre a interpretação 140
5.3. Algumas implicações técnicas do aforismo o inconsciente é estruturado como linguagem 144
5.3.1. Os princípios do poder na linguagem e no inconsciente 148
5.3.2. Os poderes da fala e da linguagem na associação livre 156
5.3.3. Na transferência 163
5.3.4. Na interpretação 168
5.3.5. No tempo da sessão 170
5.3.6. Um fragmento da clínica de Lacan 176
5.4. Política, estratégia e tática na direção da cura 181
5.4.1. As fontes de Lacan 182
5.4.2. Lacan com Clausewitz... 186
5.4.3.... e Foucault 189
5.5. Concluindo sobre política e técnica em Lacan 195

PARTE II - POLÍTICA E ÉTICA 201
1. Fundamentos teóricos da ética lacaniana 205
1.1. Aristóteles com Bentham 205
1.2. Kant com Sade 221
1.3. Das Ding 231
1.4. Sentido político da virada ética psicanalítica 239
2. A psicanálise como experiência moral e ética 247
3. O desejo do psicanalista 261
4. Algumas relações e distinções entre ética e política em psicanálise 277
4.1. Política da alienação, política da separação e ética da escolha 280

PARTE III - POLÍTICA E ATO 289
1. O ato psicanalítico e a política na direção da cura 293
1.1. Apresentando o paradoxo: o ato psicanalítico enquanto instaurador do início e do final de análise 293
1.2. As três operações: alienação, transferência e verdade 295
1.3. A ética em ato: Sócrates e o escravo 299
1.4. O ato entre o saber e a verdade 303
1.5. O final da análise: destituição subjetiva e queda do objeto a 305
2. Ato psicanalítico e ato político 313
2.1. A travessia do Rubicão 314
2.2. Análise de um ato político: Sonho Tcheco 316

PARTE IV - POLÍTICA E DISCURSO 325
1. Sobre a homologia entre a mais-valia e o mais-de-gozar 327
2. A política dos 4 + 1 discursos ·337
2.1. Política do discurso do mestre 341
2.2. Política do discurso capitalista 350
2.3. Política do discurso da histérica 353
2.4. Política do discurso do psicanalista 361
2.5. Política do discurso universitário 370
3. Da revolução dos discursos à subversão do sujeito: sobre os efeitos da experiência psicanalítica 377
3.1. Revolução 379
3.2. Subversão 383
3.3. O ato psicanalítico na revolução e na subversão 387
3.4. Os efeitos da Revolução de 68 e da experiência psicanalítica para os filhos dos revolucionários: reflexões com Virginie Linhart 393

PARTE V - CONSIDERAÇÕES FINAIS 403
1. O inconsciente é a política 403

REFERÊNCIAS 420
Poder e política na clínica psicanalítica é um livro necessário, original, bem escrito e, sobretudo, de uma honestidade intelectual ímpar, no qual o autor faz uma leitura política da clínica psicanalítica. Sua porta de entrada foi a clínica de Lacan, o que não o impediu, e é uma das qualidades de seu trabalho, de mapear tanto a obra freudiana, como a de outras escolas psicanalíticas e suas respectivas políticas.
Sua tese é clara: não só a direção do tratamento é indissociável de sua política, como todo psicanalista está implicado numa política que o remete à finalidade de seus atos. De fato, basta pensarmos nas consequências políticas decorrentes da escuta analítica que privilegia apenas um tipo de associação e ouve apenas alguns significantes em detrimento de outros. Política é também a experiência analítica que, ao permitir a desconstrução do Um e a queda de determinados significantes mestres, transforma a relação do sujeito com a ideologia, levando-o a conceber a política de outra maneira.

    FORMAS DE PAGAMENTO

    REDES SOCIAIS